Curiosidades

8 Benefícios do Cogumelo Shitake

8 Benefícios do Cogumelo Shitake – Para Que Serve e Propriedades

Utilizado na medicina chinesa há mais de seis mil anos, o cogumelo shitake até pouco tempo era pouco conhecido dos brasileiros, mas hoje em dia é encontrado com relativa facilidade e pode ser considerado um excelente alimento para fazer parte de nossa alimentação diária. Mas para que serve o Shitake? Além de ser um alimento de poucas calorias e rico em fibras,  ainda há uma grande variedade de benefícios do cogumelo shitake para a saúde, que vão desde a perda de peso até o combate ao câncer.

Para quem já conhecia, mas ainda não sabia das propriedades do cogumelo shitake, nós listamos abaixo 8 benefícios do mesmo para boa forma e saúde. Continue lendo para saber quais são eles e conhecer um dos melhores alimentos naturais à nossa disposição.

Propriedades do Cogumelo Shitake

Embora seja tecnicamente um fungo, o cogumelo é classificado como um alimento de origem vegetal para fins nutricionais. E assim como as verduras e legumes, o cogumelo é rico em vitaminas, minerais e antioxidantes que contribuem não somente para manter a saúde como também para combater doenças, como veremos logo mais.

Veja abaixo outras propriedades do cogumelo shitake:

  • É rico em selênio (mineral que contribui para a saúde dos vasos sanguíneos e ajuda a controlar o funcionamento dos hormônios da tireoide);
  • Possui Vitamina B– também conhecida como riboflavina, atua na produção de energia para o organismo. Cinco cogumelos por dia fornecem 16% da necessidade diária de vitamina B2;
  • Contém Niacina, ou vitamina B3, que, assim como a riboflavina, também atua na produção de energia;
  • É uma ótima fonte de Vitamina B9 (ácido fólico), nutriente essencial para gestantes;
  • Tem uma boa concentração de vitamina D (somente os cogumelos desidratados que foram expostos ao sol para secagem);
  • 75 g de shitake fornecem 70% das necessidades de cobre e 50% da ingestão diária recomendada de vitamina B5.
  • O shitake contém ainda uma boa concentração de zinco, manganês e cálcio.

Benefícios do Cogumelo Shitake –  Para que serve:

Veja 8 motivos para você incluir mais shitake na sua alimentação:

1. Ajuda a emagrecer

Com somente 34 calorias a cada 100g de cogumelo fresco, o shitake é um excelente alimento para fazer parte de uma dieta para emagrecer. Além de pouco calórico, o cogumelo também fornece uma boa quantidade de fibras – 2,5 g na porção de 100g – uma grande porcentagem de água (75% no alimento fresco) e poucos carboidratos (7 gramas na mesma porção). Isso significa que o shitake ajuda a emagrecer porque fornece saciedade com poucas calorias e pode ser considerado um alimento de baixo índice glicêmico (que não eleva bruscamente a glicose sanguínea, um dos fatores que levam ao acúmulo de gordura).

E para quem está tentando diminuir o consumo de proteína de origem animal, o shitake é uma das melhores opções para compor seu cardápio sem carne, já que possui uma boa quantidade de proteínas e apresenta consistência e sabor que lembram o alimento de origem animal.

2. Reduz o Colesterol

O shitake contém eritadenina, um uma substância que, segundo pesquisadores suecos, tem a capacidade de diminuir os níveis de LDL (colesterol ruim). Outro estudo realizado no Japão constatou que o shitake aumentou a quantidade de colesterol nas fezes, o que por sua vez reduziu os níveis de colesterol na corrente sanguínea. Esse efeito foi verificado em pesquisas realizadas com o cogumelo fresco e também com o extrato de shitake.

3. Auxilia no Combate ao Câncer

Outro composto que colabora nas propriedades do cogumelo shitake é a lentinana, que não somente fortalece o sistema imunológico como também atua na prevenção e no combate ao câncer.

Diversos estudos têm comprovado a ação antitumoral da lentinana, que seria capaz de reduzir e desacelerar o crescimento de alguns tipos de tumores. Algumas pesquisas realizadas em conceituadas universidades japonesas falam ainda da capacidade da lentinana de causar a regressão e impedir a metástase de algumas formas de câncer (sobretudo os de origem gástrica).

Em um estudo publicado em 2011 no periódico especializado “Cancer Science”, pesquisadores notaram uma interrupção no crescimento de melanomas em ratos após os animais terem recebido extrato de shitake em pó.

Uma das possíveis explicações para o mecanismo de atuação do shitake contra o câncer seria o fato da lentinana (um tipo de betaglucana) estimular o sistema imunológico e ajudar a ativar determinadas células e proteínas de defesa responsáveis por atacar os tumores.

4. Combate os Radicais Livres

Os radicais livres são indispensáveis à vida, mas quando em excesso podem causar uma série de complicações, que vão desde o envelhecimento precoce até o câncer. As substâncias capazes de combater esse excesso de radicais livres são chamadas de antioxidantes, e podem ser encontradas em abundância nos alimentos de origem vegetal, entre eles o shitake.

No caso desse cogumelo, há uma substância em particular com uma grande capacidade antioxidante: a L-ergotioneína, um potente composto com capacidade de impedir os danos dos radicais livres às células saudáveis do organismo. Já está comprovado que o acúmulo de radicais livres pode fazer com que essas células sofram mutação e acabem acarretando o surgimento do câncer.

Um estudo divulgado em 2005 durante um encontro da American Chemical Society revelou que os cogumelos têm uma maior concentração de L-ergotioneína que o fígado de frango e o gérmen de trigo, até então considerados como as maiores fontes conhecidas dessa substância. Os mesmos pesquisadores descobriram mais tarde que o shitake contém uma quantidade maior de L-ergotioneína que todos os demais cogumelos de consumo humano.

5. Fortalece o Sistema Imunológico

Segundo pesquisadores, este pode ser considerado como um dos maiores benefícios do cogumelo shitake para a saúde. Como já vimos, o shitake contém lentinana, uma substância que atua no mecanismo de defesa do organismo contra agentes causadores de doenças. Hoje já se sabe que o shitake pode ser inclusive mais eficiente que alguns medicamentos no combate a infecções causadas por vírus e bactérias.

6. Controla a Pressão Arterial

Estudos preliminares têm demonstrado que mais um dos benefícios do cogumelo shitake é diminuir os níveis de pressão arterial, prevenindo e até mesmo combatendo a hipertensão. Essa propriedade do shitake se deve à presença da niacina, vitamina que causa a dilatação dos vasos sanguíneos, o que por sua vez leva à uma diminuição na pressão arterial.

7. Protege o Sistema Cardiovascular

Os benefícios do cogumelo shitake para o coração se dão por três maneiras:

  • Regula os níveis de LDL, que quando elevado aumenta o risco de doenças coronarianas;
  • Reduz o risco de arteriosclerose (obstrução das artérias que pode causar infarto);
  • Controla a pressão – níveis elevados de pressão arterial estão associados a uma série de complicações cardiovasculares.

8. Previne a Trombose

O shitake ainda contém lantionina, um composto natural que inibe a agregação de plaquetas, impedindo a formação de coágulos que bloqueiam a circulação sanguínea. Esse benefício pode ser obtido com o consumo do óleo de shitake ou mesmo através do cogumelo fresco.

Conheça nossa Pizza Nobre:

“346 – Shitake e Shimeji
Molho de tomate temperado, mozzarella, shitake, shimeji e portobello refogados em alho, azeite e shoyu tradicional.”

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite – (no G+)

Leia mais http://www.mundoboaforma.com.br/8-beneficios-do-cogumelo-shitake-para-que-serve-e-propriedades/#35kWXhwH6SCSZsvO.99

Budweiser – Curiosidades

A BUDWEISER sempre foi a cerveja que os trabalhadores americanos tomam quando param num bar a caminho de casa, depois de um dia exaustivo de trabalho. A marca está associada a macacões, mãos sujas de graxa, trabalho pesado e jogos tradicionais. Vários aspectos contribuíram para seu sucesso. A BUDWEISER tem uma imagem visual muito forte – o mundo simbólico da marca. Isto inclui o rótulo, amplamente reconhecido e tipicamente americano com suas cores vermelha, branca e azul; o logotipo em forma de gravata; a garrafa long-neck, com um poder distintivo comparável ao da Coca-Cola; e poderosos slogans como “O Rei das Cervejas” e “O Produto Genuíno”. Essas razões transformaram a marca BUDWEISER em uma das cervejas mais consumidas do planeta.
A história 
Tudo começou quando, reconhecendo a popularidade da cerveja tipo pilsner, e sonhando construir uma marca tipicamente americana com maior volume de vendas no mercado, Adolphus Busch, então proprietário da cervejaria Anhauser-Busch, fundada em 1860 por seu sogro na cidade de St. Louis, estado americano do Missouri, e com a valorosa colaboração de Carl Conrad, introduziu no mercado americano, em 1876, a famosa BUDWEISER LAGER BEER, a primeira cerveja nacionalmente americana, desenvolvida sobre uma receita com ingredientes de alta qualidade e inspirada no estilo da região alemã da Boêmia. Um dos primeiros anúncios da nova cerveja foi um quadro pintado pelo próprio Adolphus Busch. A cervejaria decidiu batizar sua nova criação com o nome “Budweiser”, inspirado em um tipo de cerveja proveniente de um lugar chamado Budweis, em uma região distante do Império Húngaro, da qual a atual República Checa fazia parte.
Em 1883, graças ao processo de pasteurização em sua produção, a cerveja começou a ser engarrafada em larga escala, fato que contribuiu em muito para o aumentou das vendas e popularidade da BUDWEISER em todo o país, já que as cervejas até então eram regionais. Nesta época, a comunicação da marca também se destacava, utilizando campanhas coordenadas como, por exemplo, as “Budweiser Girls”, que consistia em retratos de nove belas mulheres americanas geralmente segurando uma garrafa de BUDWEISER. As primeiras exportações ocorreram pouco depois em 1885. A cerveja rapidamente se tornou um sucesso de vendas e, em 1901, já eram produzidos 1 milhão de barris por ano. Na década de 1920, durante a Lei Seca Americana (período onde era totalmente proibido o comércio de bebidas que contivessem álcool), a cervejaria passou a produzir uma versão da BUDWEISER sem álcool, anunciada como sendo a cerveja tradicional, com mesmo sabor e corpo, só que sem a adição de álcool. Foi a forma encontrada pela empresa de manter a marca ativa no mercado durante este período.
Pouco depois da revogação da Lei Seca, a marca introduziu a cerveja em lata, uma grande novidade no mercado americano e uma forma de incentivar novamente o consumo da BUDWEISER. Depois da Segunda Guerra Mundial, quando a cervejaria voltou quase toda sua produção para suprir as forças armadas americanas, a BUDWEISER experimentou um momento de grande crescimento e expansão, se tornando a cerveja número 1 do mercado americano em 1957. Nesta década a marca viveu grandes momentos de glória e popularidade ao patrocinar shows de Jackie Gleason, Milton Berle e Frank Sinatra. A BUDWEISER foi a primeira marca de cerveja americana a ultrapassar os 10 milhões de barris consumidos por ano, isto já em 1966. Somente em 1981 a Anheuser-Busch formou uma divisão internacional e deu início ao processo de venda em larga escala da cerveja BUDWEISER no mercado mundial. Com isso, em 1985 a BUDWEISER foi lançada na Dinamarca. Chegou à Irlanda em 1987, ao México em 1989 e à China em 1995, sendo lançada posteriormente em muitos outros países.
Já em relação a novos produtos, em 1982 introduziu no mercado a cerveja BUD LIGHT, versão mais fraca da tradicional BUDWEISER, que se tornaria a cerveja light mais vendida dos Estados Unidos em 1994, graças em boa parte a campanha “Make it a Bud Light”. E não foi só, em 2001 a BUD LIGHT se tornaria a cerveja mais consumida do país, superando até mesmo sua irmã famosa, a BUDWEISER original. Ainda que a BUD LIGHT seja a cerveja mais popular do mercado americano, a versão mais leve da BUDWEISER não tem o mesmo alcance global que a original.
Nos anos seguintes, vários tipos de cervejas sob a marca BUDWEISER foram introduzidos no mercado americano, como por exemplo, a primeira cerveja ICE (BUD ICE); uma cerveja com apenas 99 calorias (BUDWEISER SELECT); uma cerveja que misturava guaraná, cafeína e ginseng (BUD EXTRA); CHELADA (cervejas com suco de tomate) e a BUD LIGHT com um toque de limão. Na virada do século 20, ao romper a marca de um bilhão de barris de produção anual, BUDWEISER se tornou conhecida como “King of All Bottled Beers” ou “Rei de todas as Cervejas”, sendo exportada para países na Europa, Ásia, África, América do Sul e América do Norte. No mês de julho de 2008, as marcas BUDWEISER e BUD LIGHT mudaram de mãos, depois da compra da cervejaria Anheuser-Busch, pela belga-brasileira InBev por US$ 52 bilhões, passando a integrar o extenso portfólio da AB InBev. Aos poucos, os novos proprietários promoveram uma profunda reestruturação na empresa, mas sempre respeitando a cultura e a tradição de uma das marcas americanas mais lendárias.
Nos dias atuais a cervejaria está tentando estabilizar a BUDWEISER, que apesar de ser um símbolo americano, assiste suas vendas caírem por 23 anos consecutivos nos Estados Unidos. Para reverter essa situação, o comando da cervejaria, agora em mãos de brasileiros, iniciou campanhas que revisitam o rico passado da marca e da história americana. Um exemplo disso é um comercial de TV que recria uma cena de 1933, quando os icônicos cavalos Clydesdales faziam entregas da BUDWEISER no fim da Lei Seca. Já em 2013, para estrear a campanha “Made For Music”, a marca escolheu a cantora Rihanna para estrelar o comercial, gravado todo em preto e branco ao som da música “Right Now”.
A marca sempre teve uma forte ligação com os esportes, principalmente americanos. Isto começou em 1953 quando empresa ampliou sua estratégia de marketing comprando o time profissional de beisebol do St. Louis Cardinals, caracterizando assim o começo do seu envolvimento no universo dos esportes e das ligas profissionais. Hoje em dia a BUDWEISER é patrocinadora de importantes ligas profissionais, como de futebol americano (NFL), beisebol (MLB), basquete (NBA) e UFC (artes marciais mistas), além de ter forte presença na NASCAR, principal categoria do automobilismo americano e ser patrocinadora oficial da Copa do Mundo de Futebol da FIFA.
No ano de 1997, em parceria com a Antarctica, a cerveja foi introduzida oficialmente no mercado brasileiro, presença que durou pouco em virtude do hábito dos consumidores em beber uma cerveja mais forte, o que não impediu, que mais recentemente, em 2011, a marca americana fosse relançada no mercado brasileiro com enorme campanha de marketing, visando a Copa do Mundo de 2014, competição na qual a BUDWEISER era uma das patrocinadoras oficiais. A produção da BUDWEISER é feita na fábrica de Jacareí, interior de São Paulo, que recebeu investimentos nas linhas de produção para o desenvolvimento da cerveja. O Brasil foi o primeiro mercado a comercializar BUDWEISER com sua nova identidade visual em todo o mix (lata, long neck, garrafas de alumínio e de 600 ml). Mais recentemente a marca lançou no mercado brasileiro outras opções de embalagens, como por exemplo, a lata de 269 ml e a garrafa de 990 ml. A cerveja conquistou um grande espaço entre os consumidores brasileiros e hoje está no topo do segmento de cervejas premium no país. O motivo desse êxito é a maneira com que a marca encontrou para se comunicar com os novos consumidores. Suas campanhas publicitárias e ações de patrocínio ganham destaque no segmento de cervejas no mercado brasileiro.
Ainda no mercado brasileiro, a BUDWEISER, uma marca com histórica ligação com o mundo da música e cerveja oficial dos melhores shows internacionais do país, lançou o Your Tour, projeto que teve sua primeira edição em 2015 e contou com mais de 30 shows que proporcionaram uma experiência única aos ganhadores: ter o prazer de ser um rock star viajando por todo Brasil. Repaginada no ano de 2016 em uma edição dedicada exclusivamente ao rock, a promoção levou consumidores para os shows de dois mitos, Rolling Stones e Iron Maiden. Para participar e viver a experiência, era necessário entrar no site, fazer o cadastro, escolher o show e nomear dois amigos para vivenciar junto essa experiência de uma turnê rumo aos gigantes do rock, com direito, ainda, a viagem, hospedagem especial, transporte VIP, entre outros mimos típicos de um rock star.
Em 2015 a BUDWEISER lançou uma campanha com o novo posicionamento global da marca. Recorreu a sua própria história para valorizar a autenticidade e o orgulho de ser o que é e resgatou o slogan “This Bud’s for you”, que ficou famoso na década de 1970. BUDWEISER tem orgulho de ser o que é e quer inspirar os consumidores a serem livres, autênticos, únicos, a fazerem do seu próprio jeito assim como a marca que usa a mesma fórmula que faz sucesso em todo o mundo há mais de 140 anos. Este era o tema central da nova campanha. Afinal, a BUDWEISER é uma cerveja única porque é feita do jeito difícil. Seu sabor marcante e suave vem do envelhecimento com beechwood desde 1876.
A linha do tempo
1936 
● A cerveja é vendida em lata pela primeira vez. A curiosidade é que a primeira lata da cerveja BUDWEISER era amarela.
1982 
● Lançamento da BUDWEISER LIGHT (que adotaria depois apenas o nome BUD LIGHT), uma cerveja com baixo teor alcoólico e apenas 110 calorias. Desde 2001, tornou-se a cerveja mais consumida dos Estados Unidos, ultrapassando inclusive a própria BUDWEISER.
1984 
● Lançamento da BUD ICE, uma cerveja com alto teor alcoólico (5.5%) e que provocava uma sensação refrescante ao ser ingerida. A cerveja também foi lançada na versão LIGHT (com poucas calorias), descontinuada em 2010. Ganhou grande popularidade na década de 1990 com uma campanha estrelada por simpáticos pinguins e a música “Dooby-dooby-doo”.
1989 
● Lançamento da BUD DRY, introduzida depois de um promissor teste de mercado com o slogan “Why ask why? Try Bud Dry”. Atualmente perdeu muito espaço para a versão ICE, semelhante a sua fórmula.
2005 
● Lançamento da BUDWEISER SELECT, uma cerveja de baixa caloria (apenas 99) e carboidratos, inicialmente como teste de mercado. O sucesso da versão foi tão grande que no ano seguinte passou a ser vendida nacionalmente e fazer parte da linha regular da marca. Atualmente a cerveja utiliza como slogan “Full Flavor, 99 Calories. The Exception to the Rule”.
● Introdução da garrafa de alumínio com um design moderno e atrativo.
● Lançamento da BUD EXTRA, uma cerveja que possui em sua formulação guaraná, cafeína e até ginseng.
2007 
● Lançamento da BUDWEISER CHELADA e BUD LIGHT CHELADA, as tradicionais cervejas da marca misturadas com clamato, um mix de suco de tomates, especiarias e caldo de amêijoas (pequenos moluscos), muito popular entre a comunidade mexicana nos Estados Unidos. Inicialmente disponível em poucos estados americanos, somente em 2008 ganhou distribuição nacional. Essas versões são comercializadas somente em latas.
2008
● Lançamento da BUD LIGHT LIME, cerveja mais fraca que a original com um leve toque de limão. A versão foi introduzida no mercado com o slogan “It’s Amazing What a Little Lime Can Do” (algo como “É impressionante o que pode fazer um pequeno limão”).
● Lançamento da BUDWEISER AMERICAN ALE, disponível na versão Chopp (Draught) e garrafa, como uma cerveja tipo Amber Ale com teor alcoólico de 5.3% e coloração caramelizada.
2009 
● Lançamento da BUDWEISER SELECT 55, uma versão da BUDWEISER SELECT com apenas 55 calorias e 2.4% de graduação alcoólica. No ano seguinte a cerveja já estava disponível nacionalmente nos Estados Unidos.
● Lançamento da BUD LIGHT GOLDEN WHEAT, uma cerveja de trigo que possui sabor mais agradável.
2010 
● Lançamento da BUDWEISER 66, uma cerveja levemente gaseificada, suave, com um toque de doçura e 4% de graduação alcoólica, especialmente desenvolvida para o mercado inglês.
2011 
● Lançamento no mercado brasileiro da nova lata, sendo a primeira da América do Sul a ter o anel de abertura recortado (cut out tab). O anel vermelho tem o recorte em formato de coroa, símbolo da marca americana.
2012 
● Lançamento da BUD LIGHT PLATINUM, uma cerveja mais suave e doce, porém extremamente forte (6% de graduação alcoólica) que a versão light tradicional. Apesar de utilizar a designação light, a cerveja tem apenas 8 calorias a menos que uma BUDWEISER normal. O destaque da nova cerveja é sua garrafa translúcida na cor azul.
2013
● Lançamento da BUDWEISER BLACK CROWN, uma cerveja tipo Golden Amber Lager com 6% de graduação alcoólica, produzida com malte caramelo torrado, uma variedade de lúpulos americanos e lascas de Beechwood (uma madeira especial) nos tanques de fermentação, que resulta em uma bebida de qualidade excepcional e sabor único: marcante no início e suave no final, sem deixar amargor residual. A cerveja foi desenvolvida para competir no crescente segmento de craftbrew (microcervejarias) destacando sabores e aromas em produções especiais. A nova cerveja foi escolhida entre seis receitas criadas por mestres cervejeiros da empresa espalhados por todo o país.
* Na Arábia Saudita a marca produz uma versão da cerveja sem álcool chamada BUDWEISER NA. Isto porque o álcool é considerado pelos muçulmanos uma droga equivalente ao ópio ou à heroína, e, portanto, totalmente proibido. Recentemente a cerveja ganhou a versão BUDWEISER NA GREEN APPLE (com leve sabor de maçã verde) e BUDWEISER NA TROPICAL FRUITS (frutas tropicais). Já no mercado canadense a marca oferece a BUDWEISER 4, uma cerveja light com um sabor marcante.
Disputa jurídica 
Duas cervejas diferentes, o mesmo nome. Confuso? É natural. Trata-se de uma batalha legal que já dura por décadas e os próprios tribunais sentem dificuldades em julgar. De um lado a BUDWEISER, a cerveja americana mais vendida em todo o mundo. Do outro, a BUDWEISER produzida na República Checa pela Budejovicky Budvar. Para entender um pouco essa batalha jurídica é preciso voltar no tempo. A cidade de Ceske Budejovice, na atual República Checa, foi fundada pelo rei Premsl Otakar II em 1245. Tal como muitas cidades da Boêmia por várias vezes foi dizimada por saques, epidemias de pestes e guerras. Mas como a fênix, renasceu sempre das cinzas. Entre os fatos mais importantes da sua história está a permissão real para produzir cerveja, algo que esta cidade tem feito ininterruptamente desde então. No entanto, a atual cervejaria só foi fundada em 1895, ou seja, quase 20 anos depois da sua rival americana. A marca BUDVAR floresceu e, para o incômodo da Anheuser-Busch, tem o direito legal de utilizar o nome BUDWEISER em mais de 40 países ao redor do mundo. O embate jurídico entre o gigante americano e a pequena cervejaria checa, tem sido travado desde 1900. A Budvar checa começou a ser importada para os Estados Unidos ainda antes da entrada em vigor da Lei Seca. Em contra partida, a BUD americana começava a sua conquista mundial e expandia-se para a América do Sul, Canadá e Europa. Para evitar futuros problemas, as duas empresas estabeleceram um acordo em 1911 no qual a Anheuser-Busch concordava em não utilizar a designação BUDWEISER na Europa, ao mesmo tempo em que concedia a expressão “Original” à cerveja checa.
Tudo estaria certo se não fosse o grande crescimento da BUD americana e a relativa obscuridade da marca checa, que após a Segunda Guerra Mundial e a posterior inclusão da então Checoslováquia no bloco comunista, impediram o desenvolvimento natural da Budejovicky que, quase por sorte, não desapareceu por completo. Se a cerveja americana podia ser vendida no continente europeu, independentemente das designações que adotasse (BUD ou BUDWEISER) o mesmo não acontecia com a Budvar checa, que estava impedida de ingressar no mercado americano. Ou melhor, estava. Após uma ausência de mais de 62 anos, os executivos da empresa descobriram, em 2001, um subterfúgio para vender a Budvar em solo americano: alteraram o nome de Budvar para Czechvar. No encalço desta mudança, seguiu-se uma forte campanha publicitária, onde foram utilizados slogans como “Only the name has been changed to protect the beer” (“Apenas o nome foi trocado para proteger a cerveja”) ou “It’s really what you think it is” (“É exatamente o que você está pensando”). Mesmo assim, os checos continuam irritados, não dispostos a ceder nem a receber os bilhões de dólares oferecidos pela empresa americana. Recentemente a BUDWEISER americana ganhou algumas disputas jurídicas para utilização do nome em países como a Suécia. Em 27 países da comunidade europeia a empresa tem o direito de utilizar sua marca. A cervejaria belgo-brasileira InBev depois de assumir o controle da Anheuser-Busch, herdou também uma disputa centenária pela marca BUDWEISER. Por outro lado, em países como a Alemanha e China, que deram ganho de causa aos checos na queixa contra os americanos pela denominação de origem da cerveja, a BUDWEISER americana é vendida com o nome de BUD ou Anheuser-Busch Bud.
Imponentes cavalos como símbolos 
A relação da marca com a raça de cavalos denominada Clydesdale, originária da Escócia, começou no início de 1933, pouco antes da Lei Seca americana ser revogada, quando o filho do fundador da cervejaria, August Busch Jr., presenteou seu pai com seis cavalos desta raça para comemorar a produção das primeiras garrafas de BUDWEISER após o término da proibição. Percebendo o enorme potencial de marketing deste gesto, a cervejaria tratou logo de arranjar uma segunda carroça puxada por mais seis cavalos esplendorosos, que foi enviada para a cidade de Nova York no dia 7 de abril, data oficial do fim da proibição de produção e venda de bebidas alcoólicas no país. Essa carroça, conduzida por Bill Wales, desfilou pelas ruas da cidade em frente a milhões de espectadores, e depois de uma pequena cerimônia, o governador do estado na época, Alfred E. Smith, foi presenteado com uma caixa de BUDWEISER por sua luta para derrubar a proibição. Pouco depois, os cavalos foram para a capital Washington, para entregar as primeiras caixas de BUDWEISER para o então Presidente Franklin Delano Roosevelt.
Nos anos seguintes, os majestosos cavalos bretões, admirados por sua força e beleza, apareciam conduzindo elegantes carruagens e carroças em eventos pelo país afora com o objetivo de divulgar a marca BUDWEISER e a cervejaria. Com isso, os cavalos se tornaram símbolo da BUDWEISER, aparecendo inclusive em inúmeras campanhas publicitárias, a primeira em 1956 com direito a televisão. Atualmente eles são transportados pelo país em caminhões monitorados e com suspensão e piso especiais para aliviar o estresse da viagem nos animais. Na fábrica da Anheuser-Busch na cidade de St. Louis, onde há uma criação de cavalos da raça e o tradicional estábulo de tijolos e vidro, construído em 1885, é possível fazer um tour para observar os majestosos cavalos em carruagens meticulosamente preparadas para desfiles, além de poder tirar fotos e guardá-las como recordação. Eles também podem ser vistos nas cervejarias da Anheuser-Busch em Merrimack (New Hempshire) e Ft. Collins (Colorado). Os cavalos, que podem chegar a pesar 1.200 kg, ultrapassando 1.80m de altura até a cernelha (base do pescoço), fazem também cerca de 500 aparições por ano pelo país. A cervejaria possui cerca de 250 cavalos da raça, um dos maiores rebanhos do país, que são criados em três locais (na sede em St. Louis, na famosa fazenda Grant’s Farm, com área de 281 acres e antiga residência da família Busch; e também na cidade de St. Louis e na recém-inaugurada fazenda Warm Springs Ranch próxima a cidade de Boonville, estado do Missouri). Dentre as especificações para que os cavalos façam parte do “elenco” da BUDWEISER, é necessário que tenham pelo menos quatro anos, que sejam castrados e que tenham um temperamento tranquilo, além da aparência clássica da raça (no mínimo 1.83m de altura e 820 kg, pêlo marrom-avermelhado, com crina preta, patas e focinho branco). Cada cavalo consome em torno de 20 a 25 litros de cereais integrais, minerais e vitaminas, de 50 a 60 quilos de feno e 30 litros de água por dia. Os cachorros da raça dálmata também aparecem constantemente junto com os cavalos desde 1950, e se tornaram outro símbolo da BUDWEISER.
Em 2013, o cavalo símbolo da marca, protagonizou um dos mais emocionantes comerciais da BUDWEISER durante o concorrido intervalo do Super Bowl (evento esportivo de maior audiência dos Estados Unidos). O filme batizado “Brotherhood” mostra o nascimento de um potro da raça Clydesdale e o carinho e amizade que o criador tem com ele, enquanto o animal cresce para se tornar um cavalo forte e ser levado embora pelo pessoal da BUDWEISER. Três anos mais tarde, o treinador fica sabendo que a BUD estará na cidade para um desfile com seus imponentes cavalos. Ele resolve ir até lá, mas o cavalo está com um tapa-olho e nem percebe a presença do velho amigo. A partir daí, o comercial se torna emocionante. Assista abaixo.
   
A evolução visual 
A identidade visual da marca americana passou por inúmeras remodelações ao longo dos anos. Inicialmente redondo, o logotipo aos poucos foi adquirindo a tradicional cor vermelha e uma tipografia de letra mais impactante.
Ao longo dos próximos anos a identidade visual da marca, identificada pela sua tradicional “gravata borboleta vermelha” (conhecida pelos americanos como Bowtie e que passou a fazer parte do logotipo em 1956), sofreu várias alterações sem perder suas fortes características.
Aos poucos o tradicional símbolo foi ganhando um formato mais esticado e uma nova tipografia de letra, adotada a partir da década de 1990. Nos últimos anos o logotipo ganhou uma coroa dourada (afinal, BUD é “O Rei das Cervejas”) acima da tradicional gravata e, em 2011, adotou uma identidade visual mais detalhada e com efeitos 3D. Porém, em setembro de 2015, a marca resolveu voltar as suas raízes e apresentou uma nova identidade visual. Perdeu a coroa, os detalhes, adotou uma nova tipografia de letra (com pequenas mudanças em relação à anterior) e se tornou chapado e mais simples.
A icônica garrafa da BUDWEISER, que se tornou um símbolo da cultura americana, evoluiu de forma sutil com o passar do tempo, mas sempre manteve uma imagem associada aos Estados Unidos e cultura americana.
Em 2016, como parte da grande remodelação de imagem da marca, a BUDWEISER apresentou sua nova garrafa, que seguiu o design das latas, mais simples e minimalista.
Já a tradicional lata da cerveja também evoluiu com o passar do tempo. Adotada a partir de 1936, a primeira lata da BUDWEISER era amarela. Foi somente na década de 1950 que a lata passou a ser branca com detalhes em vermelho e texto em azul. Em 1996 a lata já exibia a tipografia de letra da marca muito semelhante a atual. Em 1999 houve pequenas alterações, com o nome da marca sendo escrito novamente na vertical. Em agosto de 2011, a marca anunciou uma nova identidade visual de sua tradicional lata, a décima segunda alteração desde 1936, quando a cerveja passou a utilizar este tipo de embalagem. A nova imagem visual, que possuía muito mais vermelho do que as versões anteriores, tinha como pela primeira vez destaque a “Bowtie” (gravata borboleta), principal símbolo de identificação da marca e que até aquele momento só aparecia nos rótulos das garrafas. Até então, só houve uma exceção em que a gravata da marca apareceu na versão em lata: em maio de 2011, em uma edição limitada comemorativa ao dia da independência (4 de julho), com a bandeira americana ao fundo.
Em 2013, com o slogan “as latas da Budweiser não têm mais barriga de cerveja”, a marca apresentou para o mercado americano sua nova lata (em edição limitada) com formato acinturado e inovador que remete a tradicional gravata borboleta em seu logotipo. A nova embalagem, primeiramente disponível em alguns mercados americanos, estava em processo de desenvolvimento de 2010. Em virtude do formato diferenciado, a lata armazena um pouco menos de conteúdo – 330 mililitros ao invés de 355 mililitros.
Em 2016 a marca apresentou sua nova lata: mais limpa e minimalista, dando mais destaque ao brasão histórico da Anheuser-Busch, com a cor prata ganhando mais espaço que o vermelho – que ainda aparece e marca o visual clássico da BUDWEISER. Além disso, é a primeira vez que as embalagens serão unificadas globalmente. Antes, existiam variações de país para país.
Slogans e campanhas que marcaram época 
Há mais de um século a marca é presença mais que constante na mídia americana. Já em 1902, exibia um enorme outdoor eletrônico em plena Times Square. A marca BUDWEISER, ao longo de sua rica história, realizou inesquecíveis campanhas publicitárias que acabaram fazendo parte da cultura americana em determinadas épocas. Um exemplo disso foi a campanha publicitária que tinha como slogan “This Bud’s for you”, introduzida na década de 1970. Outros slogans criativos foram lançados posteriormente e caíram no gosto popular:
This Bud’s for you. (2015)
Rise as One. (2014, Copa do Mundo)
Great Times are Coming. (2011)
Great Times Are Waiting, Grab Some Buds. (2011)
Grab Some Buds. (2010)
The Great American Lager. (2008)
This is Budweiser. This is beer. (2005)
Proud to Be Your Bud. (1993)
Nothing beats a Bud. (1990)
For all you do, this Bud’s for you. (1978)
When you say Budweiser, you’ve said it all. (1970)
Where there’s life, there’s Bud. (1960)
The King of Beers. (1952)
Budweiser. True. 
The Genuine Article.
Porém, talvez o slogan mais influente da marca tenha sido “Whassup?” (algo como “O que está rolando?” em português), que se transformou em um fenômeno da cultura pop mundial. Na final da década de 1990, a marca lançou uma série de comerciais, como tentativa de conquistar consumidores mais jovens, onde formigas, sapos e lagartos eram os protagonistas em situações extremamente divertidas. A propaganda dos sapos, introduzida em 1995, ficou marcada por três animais em um pântano, onde cada um pronunciava as sílabas BUD…WEIS…ER, imitando coaxados. Após um tempo de cantoria a câmera da um zoom e aparece do outro lado do pântano um letreiro iluminado escrito BUDWEISER. Clique para assistir inúmeros comerciais criativos da marca em nosso canal no Youtube (http://www.youtube.com/user/mundodasmarcas/search?query=budweiser). Logo depois, em 1998, durante o intervalo do Super Bowl, evento esportivo de maior audiência nos Estados Unidos, a marca introduziu uma dupla hilária de camaleões verdes chamados Frankie (com seu típico sotaque do Brooklin) e Louie, que começa a se irritar com a interminável cantoria dos sapos, que rapidamente se tornaram extremamente populares entre os jovens.
Já em 2012, a marca lançou uma campanha estrelada por Anderson Silva, lutador brasileiro de artes marciais mistas (MMA), e pelo ator Steven Seagal. O comercial “The Great Preparation” (“A grande preparação”, em tradução livre) mostra um duelo de estilo western entre personagens que disputam a única garrafa de BUD que restou em um bar. Várias personalidades do esporte participam do filme, entre eles, o juiz Dan Miragliotta (no papel do barman), o narrador oficial do UFC Bruce Buffer e o baiano Lyoto Machita (como o sensei de Anderson Silva). O filme traduzia bem o posicionamento da marca – Great Times Are Coming –, que tinha como principal objetivo “antecipar para os consumidores bons momentos que estão por vir”. Clique no ícone abaixo para assistir ao comercial.
  
Dados corporativos
● Origem: Estados Unidos 
● Lançamento: 1876
● Criador: Adolphus Busch e Carl Conrad 
● Sede mundial: St. Louis, Missouri, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Anheuser-Busch Companies, Inc. 
● Capital aberto: Não (subsidiária da AB InBev SA/NV) 
● CEO: Carlos Brito 
● Presidente: Luiz Fernando Edmond 
● Faturamento: US$ 7 bilhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado 
● Valor da marca: US$ 13.943 bilhões (2015)
● Fábricas: + 25 
● Presença global: 86 países
● Presença no Brasil: Sim 
● Maiores mercados: Estados Unidos, Canadá e Reino Unido
● Segmento: Cervejarias
● Principais produtos: Cervejas 
● Concorrentes diretos: Miller, Coors, Corona, Heineken, Amstel, Foster’s, Beck’s e Carlsberg
● Ícones: O rótulo e os cavalos Clydesdales 
● Slogan: This Bud’s for you. 
O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca BUDWEISER está avaliada em US$ 13.943 bilhões, ocupando a posição de número 31 no ranking das marcas mais valiosas do mundo.
A marca no mundo 
Presente em mais de 85 países, a marca é líder absoluta do competitivo mercado americano (22% de participação), onde uma em cada cinco cervejas vendida é BUDWEISER. Além disso, é a marca de cerveja mais valiosa do mundo. A Europa corresponde a 31% das vendas globais da marca. Seus maiores mercados são Canadá (segundo maior depois dos Estados Unidos), Inglaterra, México, Irlanda e China. A partir de 1957, e por décadas, foi a cerveja mais vendida em todo mundo, sendo reconhecida pela famosa frase “The King of Beers” (“O Rei das Cervejas”). Atualmente a cerveja BUDWEISER é engarrafada em mais de 13 países ao redor do mundo, como Estados Unidos (onde BUD é produzida em 12 cervejarias), Argentina, Brasil, Canadá, Irlanda, Itália, Japão, Rússia, Coréia do Sul, China e Espanha. A cervejaria Anhauser-Busch produz as marcas americanas de cervejas mais vendidas no mundo, a BUD LIGHT (48 milhões de hectolitros/ano) e a BUDWEISER (40 milhões de hectolitros/ano).
Você sabia? 
● A cerveja BUDWEISER possui teor alcoólico de 5%, exceto nos estados americanos de Utah, Minnesota e Oklahoma, que devido às leis locais o teor é de apenas 3.2%.
● Cerveja do tipo lager, BUDWEISER tem processo de produção apontado como um dos mais caros do mundo. Em sua elaboração são utilizados chips de Beechwood (madeira de faia) nos tanques de fermentação, o que garante um sabor marcante no início e suave no final.
● Em sua composição a BUDWEISER utiliza arroz, que torna seu sabor mais leve e muito menos amargo que o de outras cervejas.
● A BUDWEISER ocupa o posto de quarta cerveja mais consumida do mundo, atrás apenas das chinesas Snow Beer e Tsingtao, além da BUD LIGHT.
As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek, Isto é Dinheiro, Época Negócios, Exame e EmbalagemMarca), jornais (Valor Econômico, Folha, Estadão e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel, Interbrand e Mundo Marketing), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

As incríveis propriedades da rúcula

A rúcula é um dos vegetais com as características mais particulares que existem. Com gosto diferenciado e um forte cheiro, há quem ame e quem odeie.

Mas o que vale ressaltar é que apresenta algumas propriedades curativas em sua composição.

Os benefícios desta planta são muitos e de grande importância para a nossa saúde. Tem propriedades que ajudam no tratamento da gengivite, atua nas funções orgânicas do nosso corpo, trata problemas respiratórios como bronquite, tosse, além de depurar o sangue.

woman smile

A rúcula tem propriedades que ajudam no tratamento da gengivite, atuam nas funções orgânicas do nosso corpo, tratam problemas respiratórios.

 Saboreie nossa deliciosa pizza de Rúcula e Tomates Secos:

“Molho de tomate temperado, base de mozzarella, rúcula fresca e tomate seco, salpicada com orégano.”

Curiosidade

A rúcula normalmente é consumida em saladas, crua, com ou sem temperos. Mas o grande segredo deste consumo está em não cortar as folhas. Ao fazer isto, a planta perde algumas propriedades e parte de seu sabor.

rúcula.tr1stero

Conteúdo nutricional

Mesmo que em pequenos níveis, a rúcula apresenta muitos nutrientes. Tem baixo teor de gordura e é uma ótima fonte de proteína.

Apresenta vitaminas A, B, C e K. Além disso, muitos minerais são encontrados nela: ferro, potássio, fósforo, manganês, cobre, zinco e magnésio.

A importância de comer rúcula

Como dito antes, esta planta é fonte de vitamina C, que ajuda na prevenção da anemia.
Apresenta substâncias que facilitando o processo digestivo e previne inflamações intestinais, como a colite.

Fonte importante de ômega 3, ajuda no controle do bom colesterol e no tratamento do mau colesterol.

Tem a incrível capacidade de limpar as artérias, diminuindo os níveis de triglicerídeos.

Apresenta fitoquímicos, que funcionam como antioxidantes essenciais ao corpo. Com isso, atuam a livrar o corpo de algumas toxinas e substâncias de origens cancerígenas.

Engana-se quem pensa que comer rúcula é importante somente no almoço e jantar. Recomenda-se comer a folha e o talo logo pela manhã pois atua no tratamento de problemas da gengiva.

Rúcula é saudável também para o pulmão. Basta fazer um chá para se prevenir de infecções pulmonares.

Para isso, faça um chá com duas colheres de sopa da folha e água fervendo. Abafe e deixe por vinte minutos.

Guarde na geladeira e amorne quando for beber. Esta receita também tem outros benefícios. É ótima para pele em tratamentos de manchas escuras na pele. Basta acrescentar ao chá suco de meio limão. Aplique sobre a área afetada somente à noite, como uma compressa.

Armazenamento

A rúcula por ser altamente perecível deve ser consumida rapidamente. Uma dica para guardá-la é enrolar as raízes em uma toalha de papel molhada e em seguida, coloque em um saco plástico perfurado, que vai preservá-la durante alguns dias.

Imagens oferecidas por: diekatrin e tr1stero.

Fonte: https://melhorcomsaude.com/incriveis-propriedades-rucula/

Os benefícios do bacalhau para a saúde

Peixe tradicional da época reduz o colesterol ruim e ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares e câncer

O bacalhau é o prato principal da Páscoa, tão tradicional como a troca de ovos de chocolate. A escolha pelo peixe tem origem católica. Na Quaresma e na Semana Santa, a igreja proibia o consumo de carne vermelha. Dizia que fazia alusão ao sangue derramado por Cristo para salvar os pecadores.

Bacalhau assado: proteção para o coração e para os ossos
Getty Images

Bacalhau assado: proteção para o coração e para os ossos

Mesmo para os menos religiosos, no entanto, o bacalhau é presença garantida nessa comemoração. Saboroso, com alto valor nutritivo e de fácil digestão, o peixe também é rico em minerais – como o ferro e fósforo –, vitaminas A, E e D e tem colesterol quase zero.

Além disso, esse alimento contém ômega-3, importante para diminuir o LDL (o colesterol ruim) e triglicerídeos e para aumentar o HDL (o colesterol bom), além de ser importante na prevenção e controle de doenças cardiovasculares, câncer, aterosclerose, hipertensão e desordens inflamatórias e autoimunes. O bacalhau também tem ômega-6, ácido graxo essencial para o sistema imunológico.

A cada 100 g são aproximadamente 350 calorias, 81 gramas de proteína e 50 mg de cálcio (o que, de quebra, ajuda a fortalecer os ossos).

Cuidados

Apesar de todos os benefícios, é importante lembrar que a versão assada é sempre mais saudável do que a frita. E atenção, hipertensos: bacalhau é rico em sódio. A mesma porção de 100 gramas contém 2.087mg de sódio, mais do que as a quantidade máxima indicada para ser consumida em um dia inteiro – 2 mil mg.

“Todo esse excesso pode causar retenção de líquidos”, alerta a nutricionista Bruna Murta. Por isso, o peixe é prejudicial também para quem tem insuficiência renal, já que seria necessária a ingestão de mais água para eliminar o sódio em excesso.

Na mesa

É possível incluir o bacalhau em diversas receitas.

Conheça nossa deliciosa pizza:

À Moda – Ghadus mohua

Molho de tomate temperado, lascas de bacalhau, cebola, ovos, azeitonas pretas e pimentão vermelho refogado em azeite e alho.

pizzabacalhau

 

 

 

 

Fonte: Saúde – iG @ http://saude.ig.com.br/alimentacao/os-beneficios-do-bacalhau-para-a-saude/n1597731259566.html

post

Panna Cotta – deliciosa sobremesa típica da Itália

Tipicamente Italiana, da região do Piemonte, a Panna Cotta, ou creme cozido é uma sobremesa muito saborosa e de incontáveis variedades. Semelhante e de mesma base que os pudins e sobremesas como o Manjar Branco é feito com creme de leite fresco, açúcar e gelatina. Pode ser acompanhado ou aromatizado com baunilha, limão, cítricos, frutas vermelhas, geleias enfim, com quase tudo que se pode imaginar.
Sua origem é incerta e provavelmente ocorreu de um erro na elaboração de algum molho a base de peixe, pois originalmente a receita utiliza aparas e cartilagem de peixe para engrossar e gelatinizar a preparação. Claro que hoje em dia, utilizamos a gelatina, que é retirada dos ossos e colágenos de animais e plantas, porém hidrolisada e sem sabor aparente.
A Panna Cotta é uma deliciosa preparação que pode ser apreciada com praticamente qualquer tipo de calda e é servida gelada. Tradicionalmente utilizam-se frutas vermelhas para a calda ou purê. Uma forma simples de apresentação é colocar um purê de frutas no fundo de uma tigela, colocar a Panna Cotta e por cima colocar uma calda grossa das próprias frutas ou de vinho.

Saboreie nossa deliciosa sobremesa:

505 – Panna Cotta
Creme a base de nata acompanhada com calda de morango.”

Fonte: Diário do Chef

post

Presunto Parma – Uma tradição italiana

O presunto de Parma (no original em italiano, prosciutto di Parma) é um dos presuntos mais famosos da Itália, um produto com denominação de origem protegida, feito com pernas de porcos criados nas regiões central e norte da Itália, com uma alimentação especial: cevada, milho, fruta e o soro e restos de coalho do queijo parmesão. É curado apenas com sal, quando o animal atinge cerca de 160 kg de peso e uma capa de gordura que ajuda a manter a humidade da carne; nessa fase, a perna pesa cerca de 10 kg; enquanto está em sal, dentro duma câmara frigorífica, o presunto é regularmente massajado para que o sal se espalhe pela carne. Para a secagem, que normalmente dura 10 a 12 meses, a parte exposta da carne é coberta com uma massa de gordura, farinha de arroz e pimenta para não secar; ao fim do período normal de secagem, o presunto é testado com um pequeno osso oco de cavalo e, se tiver as características requeridas, é marcado com a coroa de cinco pontas do Consórcio Prosciutto di Parma; se tiver ainda bastante água na carne, pode ser deixado a secar mais seis meses; no final, o presunto perde cerca de 30% do peso inicial da perna, ou seja, fica com cerca de sete kg.

Outro produto especial preparado com a carne dos porcos criados para o prosciutto di Parma e na mesma região é o culatello, um enchido curado apenas com sal, feito com o “lombo” da perna, ou seja, a parte mais macia do músculo, metida dentro da bexiga do porco. É igualmente um DOP.

Conheça nossa deliciosa pizza de Presunto Parma:

Parma
Molho de tomate temperado, fatias de tomate caqui, mozzarella e fatias de presunto Parma, salpicada com orégano.”

Fonte: Wikipedia

 

post

Benefícios da Alcachofra

Existem varias maneiras de cozinhar uma alcachofra, tais como vapor ou assar, de modo que seja toda, caule e tudo nela podem ser consumido. Aqui estão as 8 razões para adicionar mais alcachofras à sua dieta.

beneficios-da-alcachofra

1. Alcachofra é Rico em Antioxidantes: Um estudo feito pelo USDA descobriram que as Alcachofras tem mais antioxidantes do que qualquer outro vegetal e em sétimo lugar em um estudo sobre os níveis de antioxidantes de 1000 alimentos diferentes. Alguns dos poderosos antioxidantes presente na alcachofras são quercertina, rutina, antocianinas, cinarina, luteolina e a silimarina.

2. Benefícios da Alcachofra Na Prevenção e no Tratamento do Câncer: Estudos feitos com extrato da folha da Alcachofra descobriram que induz a apoptose (morte celular) e reduzir a proliferação celular em muitas formas diferentes de câncer, incluindo câncer de próstata, leucemia e câncer de mama. Um estudo italiano descobriu que uma dieta rica em flavonóides, um composto presente na alcachofra reduz o risco de câncer de mama.

3. Alcachofra Aumenta o Fluxo Biliar: A polpa das folhas das Alcachofras contém um antioxidante chamado cinarina que aumenta o fluxo biliar.

4. Alcachofra é Benéfica para o Fígado: Graças a cinarina e outro antioxidante, silimarina, as alcachofras são benéficas para o fígado. Estudos descobriram que elas podem até mesmo regenerar o tecido do fígado. Além disso, as Alcachofras têm sido muito utilizadas pelo povo e na medicina alternativa para o tratamento de doenças do fígado.

5. Alcachofra Melhora a Digestão: As Alcachofras ajuda o sistema digestivo. Elas são um diurético natural, portanto ajudam a digestão, melhora a função da vesícula biliar e como mencionado acima, são de grande benefício para o fígado.

6. Alcachofra é Benéfica no Tratamento da Ressaca: Graças aos seus efeitos positivos sobre o fígado, muitas pessoas juram que as alcachofras é um excelente remédio no tratamento da ressaca. tente as folhas de uma alcachofra.

7. Alcachofra Ajuda na Diminuição do Colesterol: Ingredientes nas folhas da alcachofra reduz o colesterol através da inibição de HMG-CoA redutase. Eles aumentam o bom colesterol (HDL) e baixa o mau colesterol (LDL).

8. Alcachofra é Rico em Fibras: Uma grande alcachofra contém um quarto da ingestão diária recomendada de fibras. A alcachofra pequena tem mais fibra do que uma xícara de ameixas.

Não deixem de experimentar nossa deliciosa pizza de Alcachofras:

“Alcachofra Speciale
Molho de tomate temperado, mozzarella e coração de alcachofra em conserva, salpicada com orégano.”

Fonte: Dicas de Saúde

 

post

Uma taça de vinho equivale a uma hora de academia

Pesquisa revela que uma taça de vinho equivale a uma hora na academia

Uma pesquisa da Universidade Alberta, do Canadá está dando o que falar. É que o estudo revela que uma taça de vinho tinto tem efeitos equivalentes no corpo ao que se obtém em uma hora de academia.

Líder da pesquisa, Jason Dyck alega que isso é decorrente das altas quantidades de resveratrol (poderoso antioxidante) presente na bebida.

O pesquisador explica ainda que os benefícios obtidos com o resveratrol são similares aos proporcionados pela academia, ou seja, eles melhoram a performance física, aumentam os batimentos cardíacos e atuam sobre a  força muscular, do mesmo modo que um exercício.

Mas isso, de forma alguma, pode servir de desculpa para abandonar o exercício físico e ficar com o happy hour. A polêmica descoberta dos canadenses deve beneficiar apenas pessoas com alguma deficiência física, já que, segundo Dick, o resveratrol pode simular um exercício ou potencializar os benefícios de alguma atividade que a pessoa com restrição física faça. Se esse não é o seu caso, o jeito é beber uma tacinha, mas não deixar de malhar, em hipótese alguma.

Fonte: Veja Rio

post

Os Benefícios da Azeitona

A azeitona previne doenças do coração, câncer, auxilia no bom funcionamento do intestino e na melhora do sistema imunológico. Descubra outros benefícios que ela pode trazer ao corpo

Conheça os vários benefícios da azeitona
(Foto: Shutterstock)

Sabor acentuado e aroma marcante. Essas são apenas algumas das características que fazem da azeitona, ou oliva, como também é conhecida, um ingrediente muito usado na gastronomia mundial. Sua conserva é rica em sódio, mas o fruto age contra o envelhecimento e a obesidade. Os benefícios não param por aí! Veja quais são:

Poder Antienvelhecimento

Nós produzimos radicais livres. “Mas, fatores como poluição, fumo, estresse, excesso de gordura saturada e os aditivos químicos/ pesticidas dos alimentos aumentam a produção. A formação excessiva dessas moléculas instáveis e reativas está associada a uma série de doenças e ao envelhecimento precoce”, alerta a nutricionista Dominique Horta Buim. A azeitona tem ação antioxidante e o poder na hora de ajudar a neutralizar os radicais livres.

Proteção Cardiovascular

Quando os radicais livres oxidam o colesterol, os vasos sanguíneos são danificados, e a gordura se acumula nas artérias, o que contribui para ocorrência de doenças cardiovasculares. “Os antioxidantes reduzem essa oxidação, causa inicial da formação das placas de gordura, que pode obstruir as artérias. A gordura benéfica auxilia na prevenção do colesterol ruim (ldl) e sua ação anti-inflamatória ajuda a prevenir a formação de gordura nas artérias (aterosclerose)”, alerta Dominique. Ela acrescenta que há evidências de que a gordura monoinsaturada da azeitona também pode diminuir a pressão arterial. Para Carolina Balieri Furlani, nutricionista e personal diet (RJ), as fibras, os polifenóis e as vitaminas C e E são altamente eficazes nesta função.

Saúde Ocular

Você sabia que, em apenas uma xícara de oliva, podemos encontrar cerca de 10% da dose diária recomendada de vitamina A? “A falta desse nutriente pode acarretar diversos problemas, como diminuição da acuidade visual, ressecamento ocular e úlceras que se formam na área das córneas. Se não forem tratados corretamente, esses sintomas podem resultar na perda da visão”, explica Mariana de Souza da Silva, nutricionista da Zaeli, em Umuarama (PR).

Assim, ingerir alimentos ricos em vitamina a pode ser altamente eficaz na melhora da visão (tanto diurna quanto noturna), além de auxiliar no combate ao glaucoma, catarata e outras doenças oculares relacionadas à idade.

Prevenção do Câncer

As vitaminas e polifenóis da azeitona associam-se a riscos menores de câncer de cólon, fato comprovado por estudo da Universidade de Barcelona. A pele da oliva contém ácido maslínico que mata células cancerosas. E a azeitona torna-se opção contra o câncer. “Os polifenóis ajudam a combater os radicais livres, eliminar toxinas, e evita o crescimento de qualquer coisa ‘negativa’ no nosso corpo. O consumo do fruto ajuda na prevenção e não no tratamento da doença”, conclui Carolina.

Intestino Sob Controle

Segundo Mariana de Souza, o fato de a oliva ser rica em fibras faz com que o seu consumo contribua para o intestino funcionar bem. “Em 100 g de azeitona preta, encontramos 3 g de fibra total, 0.14 g de fibra solúvel e 2.86 g de fibra insolúvel”, explica a nutricionista. “Ela também possui boa quantidade de água e de gordura boa, o que ajuda no amolecimento do bolo fecal”, conclui Carolina Furlani.

Aliada do Emagrecimento

Anti-inflamatória (principalmente pela presença da gordura monoinsaturada), a azeitona é, também, uma boa pedida para quem quer emagrecer, “pois auxilia na obesidade, considerada uma doença inflamatória”, diz Dominique. Além disso, devido à quantidade de gordura e de fibra em sua composição, “ela ajuda no aumento da saciedade, reduzindo o índice glicêmico da refeição [que nada mais é do que o tempo que ela levará para ser absorvida]”, conclui. “Cada 100 gramas fornece, em média, 140 kcal e 10 gr de gordura”, finaliza Mariana.

Pele, Unhas e Cabelos Saudáveis

A oliva é um fruto rico em ácidos graxos e antioxidantes que nutrem, hidratam e protegem a pele, as unhas e os cabelos. “Isso acontece porque a azeitona possui função anti-inflamatória e propriedades que ajudam na fixação do colágeno como ácido alipóico, vitaminas A, C e E, ferro e silício”, conclui Carolina.

Fonte: Revista VivaSaúde/ Edição 136